segunda-feira, março 26, 2007

Uruguai - 18; Portugal - 12


Introdução:

Depois de uma tarde bem passada no Estádio Nacional, peguei no carro e "voei" para casa de um amigo meu para ver o grande jogo da tarde. Felizmente para mim, a grande batalha iniciou-se com algum atraso o que me permitiu instalar-me confortavelmente e tomar algumas notas. Nem sempre era fácil, pois estar na pele de adepto é sempre mais complicado em termos emotivos e a racionalidade perde-se.
Tal como em Lisboa, o Uruguai dominou grande parte da partida em termos de posse de bola e domínio territorial, mas o momento do jogo foi aos 2 Minutos quando de forma completamente inqualificável o 2ª linha do Uruguai, o nº4, só poderia levar um cartão vermelho. Apesar de tudo não foi nada fácil para Portugal manter os tais preciosos 7 pontos, mas a sua garra, o seu espírito de sacrifício e a sua experiência deram ao Rugby Português uma grande alegria. Antes de mais os parabéns de um país a toda a equipa técnica e seus jogadores!
O Uruguai já em Lisboa tinha demonstrado que era uma boa equipa com um "pack" de Avançados muito forte, especialmente na 3ª linha e utilizava muito o "maul" dinâmico para criar dificuldades ao conjunto português. Os dois cartões amarelos mostrados aos jogadores portugueses tiveram como justificação a falta nesse mesmo movimento e portanto as dificuldades forma evidentes. Por outro lado o Uruguai joga como todos sabemos às margens da lei, mas aos 2 minutos o nº4 teve um comportamento inqualificável, agredindo ao pontapé um jogador português quando este estava no chão. Foi claramente uma tentativa provocatória de desorientar a equipa nacional mas não tiveram sucesso. Ainda no "maul" jogaram de forma diferente do que em Lisboa e isso colocou ainda mais dificuldades à nossa Selecção. No entanto as linhas atrasadas não estiverem tão bem como em Lisboa pois o seu jogo estava algo lento e apesar do ponta nº11 ter marcado um ensaio foi claramente um jogador com dificuldades no que respeita ao jogo defensivo.
Portugal teve acima de tudo muita maturidade num jogo de nervos e muito táctico onde o mais importante era claramente marcar pontos e guardar a bola. Nos últimos minutos da partida conseguiram instalar-se no meio campo adversário fazendo um jogo claramente de paciência com uma "garra" impressionante dos seus Avançados. Conseguiram não reagir às provações do adversário e conseguiram também manter sempre a distância no marcador com Cardoso Pinto claramente inspirado na hora de chutar aos postes. De referir que na 1ª Parte jogaram contra o vento que por vezes era forte, pelo menos foi a impressão que me deu ao ver as imagens na televisão. Tivemos algumas dificuldades a defender o "maul" pois deu a sensação que estavam à espera de outro tipo de movimentação por parte dos Uruguaios, mas nos últimos minutos da 2ª Parte conseguiram de forma inteligente que o Uruguai fosse "apanhado em obstrução". Nunca estivemos em desvantagem e se isso por um lado deu alguma tranquilidade a Portugal, causou claramente muito "nervosismo" ao adversário. Conseguiram fazer sempre muita pressão nas linhas atrasadas do adversário errando apenas no ensaio do Uruguai.

O sonho tornou-se realidade com muito sofrimento, mas também é assim que as coisas dão mais gozo!


Resumo do Jogo:

O jogo inicia-se com um atraso de 14 minutos. Aos 2 minutos é mostrado um cartão vermelho ao nº4 do Uruguai por agredir ao pontapé num "ruck" um jogador português. Na origem dessa situação Portugal tenta uma penalidade aos "postes" mas o pontapé sai torto. Apesar de estar com menos um, o Uruguai faz do jogo de Avançados a sua principal arma e consegue aos 10 minutos uma penalidade aos postes que acaba por ser convertido. Aos 13 Minutos é mostrado um cartão amarelo a João Correia por fazer falta no "maul". Na origem dessa falta o Uruguai tenta novamente os postes mas desta vez o pontapé não é convertido (bate no poste). Aos 16 minutos há uma tentativa de Drop Goal por parte do Uruguai, mas a bola passa ao lado dos postes. Aos 19 Minutos o Uruguai ganha nova penalidade aos postes e consegue converter o pontapé. Portugal entretanto consegue equilibrar a partida mesmo jogando contra o vento e consegue aos 22 minutos uma penalidade aos postes que Cardoso Pinto converte reduzindo assim a diferença no marcador. Aos 32 Minutos Portugal empata a partida com mais uma penalidade aos "postes". Continuamos a sentir muitas dificuldades no "maul" dinâmico do adversário e já em descontos, aos 42 minutos, Marcelo D'Orey vê um cartão amarelo e novamente por falta no "maul". Essa situação dá origem mais uma vez a uma penalidade aos "postes" por parte do Uruguai que felizmente para nós não viria a ser convertida, chegando assim ao intervalo com um empate.

Fim da 1ª Parte: Uruguai - 6; Portugal - 6

A 2ª Parte começa com ambas as equipas com 14 jogadores. Aos 42 Minutos uma desatenção das linhas atrasadas de Portugal permite o ensaio ao nº11 do Uruguai. O pontapé não foi convertido. Apesar de tudo Portugal consegue aos 46 Minutos uma penalidade aos "postes" que Cardoso Pinto consegue converter. Aos 50 Minutos Portugal consegue traduzir o bom momento que atravessava em mais uma penalidade aos "postes" convertida, passando assim para a frente do marcador. Aos 51 Minutos há uma tentativa desastrada de Drop Goal por parte de Miguel Portela e aos 64 Minutos o Uruguai trabalha bem nos Avançados, após ganhar uma "Touche" nos "22" do adversário, conseguindo chegar ao ensaio. O pontapé foi convertido e o Uruguai ficava apenas a 1 ponto de empatar a eliminatória. Mas Portugal conseguiu não só aguentar essa pressão como jogar os últimos minutos no meio campo adversário.


Fim do Jogo: Uruguai - 18; Portugal - 12


Estatística:



Uruguai Geral Portugal
18 Resultado 12
2 Ensaios 0
1 Conversões 0
2 Penalidades "Postes" 4
0 Drop Goal 0
6 1ª Parte 6
12 2ª Parte 6

Uruguai Situações de Jogo Portugal
6 "Melee Ganhas" 3
2 "Melee Perdidas" 1
16 "Touches" Ganhas 11
6 "Touches Perdidas" 4
12 Penalidades Concedidas 8
0 Penalidade "à Mão" 0
8 Penalidade "à Touche" 3
4 Penalidade "Postes" 5
5 "Mauls" Ganhos 1
27 Placagens bem sucedidas 32
6 Placagens falhadas 7
81.8% % Placagem 82.1%
1 "Turn Overs" 2
6 Erros 8
10 Vantagem 6
1 Vantagem "progressão" 4
9 Vantagem não aproveitada 2
1 Bola Perdida "22" 0
2 Bola Ganha "22" 4


Ao Minuto:


Inicio do Jogo: 18h44*

2 Minutos - Cartão Vermelho - Uruguai
2 Minutos - Penalidade "Postes" não convertida - Portugal
10 Minutos - Penalidade "Postes" Convertida - Uruguai
13 Minutos - Penalidade "Postes" não convertida - Uruguai
13 Minutos - Cartão Amarelo - Portugal
16 Minutos - Drop Goal não convertida - Uruguai
19 Minutos - Penalidade "Postes" convertida - Uruguai
22 Minutos - Penalidade "Postes" Convertida - Portugal
32 Minutos - Penalidade "Postes" Convertida - Portugal
42 Minutos - Penalidade "Postes" não Convertida - Uruguai
42 Minutos - Cartão Amarelo - Portugal

Fim da 1ª Parte: 19h27*

Inicio da 2ª Parte: 19h40*

42 Minutos - Ensaio e Pontapé não convertido - Uruguai
46 Minutos - Penalidade "Postes" Convertida - Portugal
47 Minutos - Substituição - Uruguai
50 Minutos - Penalidade "Postes" Convertida - Portugal
52 Minutos - Drop Goal não convertida - Portugal
55 Minutos - Substituição - Uruguai
58 Minutos - Substituição - Uruguai
64 Minutos - Ensaio e pontapé convertido - Uruguai
65 Minutos - Substituição - Portugal
74 Minutos - Substituição - Portugal

Fim do Jogo: 20h24*


* - hora de Portugal

5 comentários:

Anónimo disse...

Jogo de nervos que segundo a minha opinião podia ter sido mais bem conseguido. Mas é como referes e bem assim que as coisas sabem melhor!

Thor disse...

Aquele ensaio sofrido na ponta, só veio provar a minha teoria de que nos faltam pontas e arriere para este nivel de competição. O Pedro deitou a mão á camisola do uruguaio embalado em velocidade como se estivesse a comprovar se a camisola era mesmo de algodão ;) Ali há que placar efectivamente, colocar o adversário no chão sem sequer permitir a transmissão de bola para o apoio.

Mas, isso é perfeitamente secundário nesta hora de FESTA. VIVA PORTUGAL! VIVA O RUGBY PORTUGUÊS! FEITO SIMPLESMENTE HEROICO E HISTÓRICO!

luissm disse...

Thor,

Se não me engano, quem falha a placagem é o Gama. Aliás, ele nem sequer falha, dado que não a tenta fazer. Mas tanto faz, agora a hora é de festa. E a verdade é que faltou cobrir ali bem o corredor, nem sequer era preciso placar. Houve ali alguma descoordenação entre o Portela e o Gama.

Não esquecer que o Gama foi o único a conseguir apoiar o Pedro Carvalho no ensaio que marcámos cá.

E, já agora, sendo eu alguém que jogou rugby anos a fio, deixa-me dizer-te que ali a melhor opção não é placar. O ideal é obrigar o uruguaio a sair pela lateral. Ganha-se a bola e acaba-se com a confusão defensiva.

Thor disse...

luissm, totalmente de acordo. Pôr o uruguaio fora seria a opção ideal mesmo.
Quanto á falha defensiva, a minha ideia não era individualizar em nenhum jogador em particular, mas extrapolar para uma lacuna que teima em não ser colmatada na nossa selecção - os pontas. Repara que melhorámos enormemente nas touches, conseguimos aguentar muitissimo bem as melées com uma prova de fogo como este Uruguai fiel seguidor da escola argentina deste tipo de jogo, variamos e aceleramos muito mais o jogo á mão, defensivamente o nosso pack raramente falha placagens, e... pontas defensivamente continuama comprometer. Na minha opinião por manifesta falta de capacidade fisica para ombrear com adversários mais fortes, então o nosso arriére nesse aspecto...

Anónimo disse...

De facto falta algum "peso" aos nossos 3/4, mas por outro lado esse "leveza" dá-lhes também uma maior mobilidade e flexibilidade. Isto já para não falar da "coragem".