sábado, janeiro 10, 2009

Direito - 52; Benfica - 14




Introdução:

O frio era muito intenso, mas mesmo assim desloquei-me ao belo campo de Monsanto para assistir ao Direito vs Benfica. Esperava-se uma vitória fácil dos homens da casa com a obtenção de ponto bónus. Isso foi o que acabou por acontecer com o Direito a conseguir ainda na 1ª Parte esse objectivo contra um Benfica muito combativo e que nunca virou a cara à luta.

Depois da vitória nas Olaias com direito a ponto bónus, os “Advogados” enfrentavam novo adversário acessível, logo propicio à obtenção de uma vitória fácil com ponto extra. Não começaram nada bem os homens da casa, já que alguns erros e uma boa entrada do adversário obrigaram a defender no seu meio campo. Contudo o ataque do Benfica não era eficaz e por outro lado os jogadores do Direito começaram a entender-se principalmente nas jogadas ofensivas onde a colocação de muitos homens nas linhas atrasadas era uma constante. Eram assim abertas muitas linhas de passe e acima de tudo o apoio ao transportador da bola era frequente. Foi assim que aos 9 minutos da partida o Direito marcaria o 1º de oito ensaios marcados durante toda a partida, sendo que 6 foram marcados no 1º Período. A partir desse instante o Direito não mais tirou o pé do acelerador e apenas 4 minutos depois, ou seja, aos 13 minutos o Direito voltaria a marcar mais um ensaio, em mais uma bonita jogada de envolvimento no ataque, com várias linhas de passe a serem abertas antes de a bola chegar ao marcador do ensaio. Se por um lado o Benfica não defendia de forma eficaz, não se pode tirar o mérito aos homens da casa que jogavam de forma rápida e apoiada no ataque, sendo o entendimento entre os jogadores muito bom. Depois surgiu alguma desconcentração por parte do Direito com muitos erros, sendo a maior parte das vezes nos “22” do Benfica. Foi neste período que os “encarnados” ganharam por mais vezes a bola nos seus “22”. Mas era de facto uma questão de tempo até se chegar ao 3º ensaio conseguido aos 27 minutos. Depois e até ao intervalo o Direito não mais saiu do meio campo do Benfica, marcando mais 3 ensaios em apenas 4 minutos, aos 35, 38 e mesmo a fechar o 1º Período aos 39 minutos. Com 6 ensaios marcados e com a garantia do ponto bónus o Direito iniciava a 2ª Parte muito mais descontraído e apesar da pressão inicial do adversário, mais uma vez o Direito mostra toda a sua força no ataque e consegue aos 50 minutos mais um ensaio com culpas mais uma vez para a defesa do Benfica. O adversário passava a ter mais posse de bola, embora o domínio territorial não fosse demolidor e por outro lado o Direito era muito eficaz a defender e aproveitar os erros do adversário. Aos 64 minutos o Direito viria a marcar o seu último ensaio e a partir daí passou o jogo quase sempre a defender e a rodar jogadores. Iria sofrer dois ensaios nos últimos minutos da partida, mas já nada fazia virar o resultado entretanto construído. De referir que o Direito ganhou 17 “Touches” num total de 18 “Touches” introduzidas (94,44%), ganhou por 5 vezes a bola nos seus “22” (1 na 1ª Parte e 4 na 2ª Parte) e das 69 placagens efectuadas, falhou 9, enquanto que 60 foram bem sucedidas (86,96%).

O Benfica como já aqui foi referido iniciou muito bem a partida, com a preocupação de ter a bola em seu poder e através dos seus Avançados progredir no terreno. Por outro lado aproveitou também alguma desorientação do adversário que não conseguia “acertar” o ritmo de jogo. Mas foi sol de pouca dura, pois iriam sofrer o seu 1º ensaio logo aos 9 minutos, com a demonstração de debilidades na defesa e com muitas placagens falhadas. De referir que o Benfica muitas das vezes não placava às pernas o que facilitava a vida aos homens da casa. Contudo e apesar de dois ensaios sofridos em 13 minutos as “águias” reagiam sempre e tentavam jogar de igual para igual e demorou até sofrer o 3º ensaio já que além dos erros do adversário, passaram a defender melhor. Mas bastava o Direito aumentar o ritmo de jogo o Benfica desorientava-se principalmente na linha defensiva que se perdia com tantos homens do Direito nas linhas atrasadas. Depois veio o pior período do Benfica com 3 ensaios sofridos em apenas 4 minutos, onde embora haja mérito por parte dos “advogados” o Benfica desconcentrou-se por completo e exemplo disso é o ensaio sofrido aos 39 minutos logo após o recomeço da partida depois de ter sofrido um ensaio aos 38 minutos. No início da 2ª Parte a história repetiu-se, ou seja um Benfica decidido em mudar ou pelo menos atenuar o rumo dos acontecimentos, mas faltava eficácia no ataque. Por outro lado eram cometidos muitos erros e a provar isso está no facto de este ter sido o período em que o Direito por mais vezes ganhou a bola nos seus “22” .Por outro lado em termos defensivos o Benfica continuava a demonstrar os mesmos problemas, desorganização e a não placagens às pernas. Mesmo assim o Benfica melhorou nesse capítulo e acima de tudo conseguiu finalmente instalar-se por mais tempo no meio campo adversário. Beneficiou das inúmeras faltas cometidas pelo adversário e embora muito tarde conseguiu marcar dois ensaios já nos últimos minutos da partida, diga-se em abono da verdade bastante merecidos pela atitude demonstrada em campo de uma equipa ainda pouco madura e com alguns sectores importantes muito fragilizados. De referir que o Benfica ganhou 7 “Touches” num total de 12 “Touches” introduzidas (52,94%), ganhou por 8 vezes a bola nos seus “22” (7 na 1ª Parte e 1 na 2ª Parte) e das 65 placagens efectuadas falhou 16, enquanto que 59 foram bem sucedidas (78,67%).
Minuto a Minuto:
Inicio do Jogo: 15h02
9 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Direito
13 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Direito
27 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Direito
35 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Direito
38 - Minutos - Ensaio e Pontapé Não Convertido - Direito
39 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Direito
Fim da 1ª Parte: 15h42
Resultado da 1ª Parte: Direito - 40; Benfica - 00
Inicio da 2ª Parte: 15h49
50 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Direito
64 Minutos - Ensaio e Pontapé Não Convertido - Direito
79 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Benfica
83 Minutos - Ensaio e Pontapé Convertido - Benfica
Fim da 2ª Parte: 16h32
Resultado da 2ª Parte: Direito - 12; Benfica - 14
Resultado Final: Direito - 52; Benfica - 14
Estatística:

% - DIREITO - Geral - BENFICA - %
52 - Resultado - 14
8 - Ensaios - 2
6 - Conversões - 2
0 - Penalidades "Postes" - 0
0 - Drop Goal - 0
76,92% - 40 - 1ª Parte - 0 - 0,00%
23,08% - 12 - 2ª Parte - 14 - 100,00%

TOTAL
% - DIREITO - Situações de Jogo - BENFICA - %
83,33% - 5 - "Melee Ganhas" - 15 - 100,00%
16,67% - 1 - "Melee Perdidas" - 0 - 0,00%
94,44% - 17 - "Touches" Ganhas - 7 - 58,33%
5,56% - 1 - "Touches Perdidas" - 5 - 41,67%
7 - Penalidades Obtidas - 17
28,57% - 2 - Penalidade "à Mão" - 9 - 52,94%
71,43% - 5 - Penalidade "à Touche" - 8 - 47,06%
0,00% - 0 - Penalidade "Postes" - 0 - 0,00%
5 - "Mauls" Ganhos - 2
56 - "Ruck's Ganhos - 48
86,96% - 60 - Placagens bem sucedidas - 59 - 78,67%
13,04% - 9 - Placagens falhadas - 16 - 21,33%
13 - "Turn Overs" - 5
14 - Erros - 9
11 - Linha da Vantagem "ultrapassada" - 7
9,09% - 1 - Fases Estásticas - 2 - 28,57%
90,91% - 10 - Restantes - 5 - 71,43%
1 - Bola Perdida "22" - 3
5 - Bola Ganha "22" - 8

1ª Parte
% - DIREITO - Situações de Jogo - BENFICA - %
50,00% - 1 - "Melee Ganhas" - 5 - 100,00%
50,00% - 1 - "Melee Perdidas" - 0 - 0,00%
100,00% - 12 - "Touches" Ganhas - 4 - 66,67%
0,00% - 0 - "Touches Perdidas" - 2 - 33,33%
4 - Penalidades Obtidas - 5
25,00% - 1 - Penalidade "à Mão" - 1 - 20,00%
75,00% - 3 - Penalidade "à Touche" - 4 - 80,00%
0,00% - 0 - Penalidade "Postes" - 0 - 0,00%
3 - "Mauls" Ganhos - 1
30 - "Ruck's Ganhos - 18
88,46% - 23 - Placagens bem sucedidas - 31 - 73,81%
11,54% - 3 - Placagens falhadas - 11 - 26,19%
7 - "Turn Overs" - 4
6 - Erros - 2
6 - Linha da Vantagem "ultrapassada" - 2
16,67% - 1 - Fases Estásticas - 1 - 50,00%
83,33% - 5 - Restantes - 1 - 50,00%
0 - Bola Perdida "22" - 3
1 - Bola Ganha "22" - 7


2ª Parte

% - DIREITO - Situações de Jogo - BENFICA - %
100,00% - 4 - "Melee Ganhas" - 10 - 100,00%
0,00% - 0 - "Melee Perdidas" - 0 - 0,00%
83,33% - 5 - "Touches" Ganhas - 3 - 50,00%
16,67% - 1 - "Touches Perdidas" - 3 - 50,00%
3 - Penalidades Obtidas - 12
33,33% - 1 - Penalidade "à Mão" - 8 - 66,67%
66,67% - 2 - Penalidade "à Touche" - 4 - 33,33%
0,00% - 0 - Penalidade "Postes" - 0 - 0,00%
2 - "Mauls" Ganhos - 1
26 - "Ruck's Ganhos - 30
86,05% - 37 - Placagens bem sucedidas - 28 - 84,85%
13,95% - 6 - Placagens falhadas - 5 - 15,15%
6 - "Turn Overs" - 1
8 - Erros - 7
5 - Linha da Vantagem "ultrapassada" - 5
0,00% - 0 - Fases Estásticas - 1 - 20,00%
100,00% - 5 - Restantes - 4 - 80,00%
1 - Bola Perdida "22" - 0
4 - Bola Ganha "22" - 1

7 comentários:

RVS disse...

Foi das 2ªs partes mais fracas que tenho visto. Muito enfadonha, com excepção do ensaio do miúdo Mestre (se não me engano) do Benfica. É sub-20, e marcou debaixo dos postes com muita muita classe.

Anónimo disse...

e os outros resultados, não sabe?

Anónimo disse...

Muito bom trabalho !!!

Anónimo disse...

ha fotos?

Anónimo disse...

Mais um excelente trabalho estatistico. Rigor e acima de tudo justeza nas tuas crónicas é o que eu gosto de destacar.

Cps:

CDJ

Anónimo disse...

A tua capacidade de análise é fantástica assim como a isenção. Obrigado pelo teu trabalhp

Anónimo disse...

Afinal o Setubal Académica sempre foi adiado por uma declaração falsa do médico do Setubal. Se estavam 12 jogadores impedidos de jogar , o Setubal ainda tinha para jogar 25 jogadores já que tem 37 jogadores inscritos. A declaração médica que obviamente É FALSA, nem sequer indica o nome dos atletas IMPEDIDOS de jogar. Esperemos que a Federação actue, abrindo um inquérito aos médicos futebolistas que começam a chegar ao rugby.